• Métodos de Diagnóstico

Para um perfeito diagnóstico da causa do problema de impotência, temos os seguintes exames à disposição. São exames muito simples, mas fundamentais para a avaliação do caso. Após conversa detalhada com o paciente e uma boa anamnese, o médico deverá proceder ao exame físico, e, havendo necessidade, utilizar-se dos exames laboratoriais onde poderá avaliar diversos fatores tais como glicemia, taxas hormonais etc.
Após essa etapa poderá utilizar-se de diversos exames entre os quais citamos alguns abaixo:

Doppler e Color Doppler Peniano

Fornece informações sobre a hemodinâmica do pênis, após relaxamento da musculatura lisa induzida com agente vasoativo. O objetivo é distinguir insuficiência arterial com outras causas do distúrbio de ereção. A velocidade do sangue na artéria cavernosa pode ser medida e aí se distingue a impotência física da psicogênica.

Acima imagem de color doppler de uma artéria peniana normal e abaixo um color Doppler de uma artéria mostrando fluxo reduzido.

Teste de Ereção Fármaco-Induzida (TEFI) Testes com Prostaglandina

Esse teste tem como objetivo a promoção da ereção através da injeção intracavernosa de drogas vasoativas que promovam o relaxamento da musculatura lisa das artérias e dos corpos cavernosos.
A sua realização é indicada em portadores de disfunção erétil (DE) com exceção dos indivíduos nitidamente psicogênicos caracterizados por: seletividade de parceiras, ereções normais em determinadas situações etc... Nesses casos o TEFI poderá ser realizado quando houver necessidade de comprovação objetiva da capacidade erétil para o próprio paciente. O TEFI também está indicado para a avaliação de curvaturas penianas.
Um resultado positivo não afasta a possibilidade de haver algum problema de ordem vascular e/ou cavernosa, mas mostra que quando estimulado consegue-se obter uma ereção. Esse resultado pode abrir mais uma opção para tratamento que é a aplicação de injeções intracavernosas

Ultra-sonografia Peniana

É um exame totalmente não invasivo que permite verificar a morfologia do pênis e se o paciente apresenta Peyronie, ou Placa de Peyronie.

Teste de Tumescência Peniana Noturna (NPT)

A presença da ereção noturna, que é usada para diferenciar a impotência psicogênica da orgânica, pode ser detectada usando dispositivos colocados ao redor do pênis, durante o sono. O aparelho é projetado para gravar a ocorrência da ereção noturna. A determinação dessa presença ou ausência de ereção pode ajudar na conduta de tratamento a ser utilizada.

[Veja Também: Tratamentos Clínicos e Cirúrgicos]